Estou, oficialmente, forçando-me a escrever de novo e mais.

Não sei sobre o que. Não sei a periodicidade. Não sei por quanto tempo.

Mas preciso escrever pra viver melhor. A cabeça não dá mais conta de guardar toda a informação gerada diariamente nesse mundo cada vez mais retardado.

E eu não tenho mais condições de não dizer algumas coisas que eu ando pensando sobre as dores, alegrias e loucuras de (e do) ser humano.

E lá vamos nós, novamente. Espero que não seja promessa vazia em tempos de eleições obscuras.

Compartilhe: