"À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo"

Categoria: Poemas (Page 4 of 7)

Essa noite ventou muito

Essa noite ventou muito.
Vento que assobia melodias nas frestas da janela;
Que agita os galhos e rodopia as folhas,
Que derruba os lixos e assusta os gatos,
Que escolhe onde quer que caia a chuva,
Que se impõe sobre todas as coisas –
Que sopra a vida adiante.

Compartilhe:

Pneumotórax

Febre, hemoptise, dispnéia e suores noturnos.
A vida inteira que podia ter sido e que não foi.
Tosse, tosse, tosse.

Mandou chamar o médico:
– Diga trinta e três.
– Trinta e três… trinta e três… trinta e três…
– Respire.

– O senhor tem uma escavação no pulmão esquerdo e o pulmão direito infiltrado.
– Então, doutor, não é possível tentar o pneumotórax?
– Não. A única coisa a fazer é tocar um tango argentino.

Manuel Bandeira, in Libertinagem, 1930

Compartilhe:

O amor é uma companhia

Para Bruna.


O amor é uma companhia.
Já não sei andar só pelos caminhos,
Porque já não posso andar só.
Um pensamento visível faz-me andar mais depressa
E ver menos, e ao mesmo tempo gostar bem de ir vendo tudo.
Mesmo a ausência dela é uma coisa que está comigo.
E eu gosto tanto dela que não sei como a desejar.

Se a não vejo, imagino-a e sou forte como as árvores altas.
Mas se a vejo tremo, não sei o que é feito do que sinto na ausência dela.
Todo eu sou qualquer força que me abandona.
Toda a realidade olha para mim como um girassol com a cara dela no meio.

10-7-1930
“O Pastor Amoroso”. In Poemas de Alberto Caeiro. Fernando Pessoa. (Nota explicativa e notas de João Gaspar Simões e Luiz de Montalvor.) Lisboa: Ática, 1946 (10ª ed. 1993). – 100.

Compartilhe:
« Older posts Newer posts »

© 2022 Alê Flávio

Theme by Anders NorenUp ↑