Procurando alguns documentos outro dia, achei um papel surrado com uns versos que escrevi há, pelo menos, uns 5 anos.

Não sou exatamente um poeta (nunca fui), mas gostaria de compartilhar com vocês.

É sempre interessante revisitar nosso raciocínio do passado e ver (ou tentar ver, rs) o que mudou e o que permanece igual na nossa visão de mundo.

Há que se conhecer e cultivar sua própria história, seu próprio passado.

Abraços.

Preciso que todos se importem
Preciso que todos perguntem se estou bem
Em tempos de cada vez mais solidão
Preciso de um abraço e atenção

Todos ao meu redor, ninguém ao meu lado
É tudo tão vazio e frio
Mecânico
Plastificado
Perder uma batalha que nem devia lutar
Querer carregar um fardo sem precisar

As rimas se repetem como tudo

Compartilhe: