Às vezes tenho vontade de chorar, assim, do nada. E nem é por lembrar de nada triste, ou ficar emocionado com uma memória feliz – é só o nó que dá na garganta e, aparentemente, só se resolve com um choro bem dado.

Não sei se é meu inconsciente consciente de que está no limite e precisa vazar pra algum canto; não sei se é minha alma querendo mais calma e, portanto, buscando desinflar; não sei se é só meu lado canceriano querendo ser… óbvio.

Mas a verdade é que, às vezes, tenho vontade de chorar enquanto olho pro vazio e penso em absolutamente nada.

Às vezes eu choro.

Às vezes não.

Hoje, não chorei.

Compartilhe: